18/02/2021

18/02 – Dia Internacional da Síndrome de Asperger

Em 18 de fevereiro de 1906, nascia em Viena, Áustria,

Em 18 de fevereiro de 1906, nascia em Viena, Áustria, Hans Asperger, o pediatra que descreveu pela primeira vez, em 1944, uma condição de desenvolvimento caracterizada por excentricidade, constrangimento motor, dificuldades nas relações sociais, interesses limitados e repetitividade do comportamento: essas são algumas características da Síndrome de Asperger, assim nomeada em sua homenagem.

A Síndrome de Asperger faz parte do chamado Transtorno do Espectro do Autismo. Pessoas com Asperger geralmente processam detalhes adicionais ao seu redor e possuem grandes habilidades em observação e ordem detalhadas, processando muito mais os sentidos, fazendo com que cores, sons, cheiros e sentimentos pareçam mais brilhantes, mais altos e mais fortes.

O Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) reúne desordens do desenvolvimento neurológico presentes desde o nascimento ou começo da infância. São elas: Autismo Infantil Precoce, Autismo Infantil, Autismo de Kanner, Autismo de Alto Funcionamento, Autismo Atípico, Transtorno Global do Desenvolvimento sem outra especificação, Transtorno Desintegrativo da Infância e a Síndrome de Asperger.

Há dois critérios para o diagnóstico do TEA: déficit na reciprocidade socioemocional (seja na comunicação não verbal ou na interação social) e presença de comportamentos restritos ou repetitivos. A diferença entre os transtornos é o grau, dentro do espectro autista, já que é possível ter pessoas com TEA com apenas pequenas dificuldades de socialização até indivíduos com afastamento social, deficiência intelectual e dependência de cuidados ao longo da vida.

Geralmente, uma criança do espectro autista apresenta os seguintes sintomas:

– dificuldade para interagir socialmente, como manter o contato visual, expressão facial, gestos, expressar as próprias emoções e fazer amigos;
– dificuldade na comunicação, optando pelo uso repetitivo da linguagem e bloqueios para começar e manter um diálogo;
– alterações comportamentais, como manias, apego excessivo a rotinas, ações repetitivas, interesse intenso em coisas específicas, dificuldade de imaginação e sensibilidade sensorial (hiper ou hipo).


Confira a bibliografia técnico-científica disponível na BVS


Fonte: Biblioteca Virtual em Saúde - Ministério da Saúde



  • Transparência
  • Ouvidoria
  • logocofen