14/10/2020

Conquistas da enfermagem em meio à pandemia de Covid-19

em meio a tanta dor, queremos destacar os avanços

Desde o início do ano, o Brasil e o mundo vivem o medo da expansão da pandemia causada pelo novo coronavírus. No dia 26 de fevereiro desse ano, tivemos o primeiro caso confirmado no território nacional e hoje já passam de 146 mil mortes e quase 5 milhões de casos confirmados.

O protagonismo dos profissionais de saúde, que estiveram na linha de frente no enfrentamento da pandemia, foi reconhecido em todo o mundo com campanhas de aplausos na janela por reconhecimento do heroísmo desses profissionais. Muitos foram os profissionais de saúde que perderam suas vidas ao longo desses sete meses de enfrentamento à pandemia, por eles manifestamos o nosso mais sincero respeito e solidariedade aos seus amigos e familiares.

Entretanto, em meio a tanta dor, queremos destacar os avanços que a enfermagem conquistou nesse período.

Conquistas da enfermagem

A resolução COFEN 633/2020 regulamentou a atuação da enfermagem no atendimento pré-hospitalar durante a vigência da pandemia, sua principal modificação foi tornar facultativa a presença do auxiliar de enfermagem junto ao enfermeiro, além de regulamentar a administração de medicamentos por prescrição remota do médico regulador e o manejo de vias aéreas com ou sem dispositivos supraglóticos.

A resolução COFEN 634/2020 regulamentou a teleconsulta de enfermagem, estabelecendo a necessidade do termo de consentimento e a aplicação de todo o processo de enfermagem à distância.

A resolução COFEN 639/2020 representou um marco na atuação do enfermeiro, principalmente nos ambientes de alta complexidade, pois ele atribui como responsabilidade do enfermeiro o manejo do ventilador mecânico para ventilação invasiva e não invasiva e a prescrição dos cuidados de enfermagem referentes à estratégia ventilatória. Ele recomenda, ainda, que o manejo dos parâmetros ventilatórios seja realizado sob coordenação médica.

Ainda na área da enfermagem de alta complexidade, a resolução COFEN 641/2020, autoriza que o enfermeiro a utilizar dispositivos extraglóticos (máscara laríngea), manipulação de pinça de Magill para desobstrução de vias aéreas superiores ou cricotireoidosmia por punção, em casos de extrema necessidade, desde que devidamente capacitado.

A última resolução COFEN emitida foi a resolução 648 que autoriza o enfermeiro devidamente capacitado a realizar punção intraóssea quando acesso venoso periférico mostrar-se inviável.

Esses avanços possibilitam maior autonomia ao enfermeiro e à equipe de enfermagem, consolidando as práticas avançadas da enfermagem, que entre outros, esse é uma conquista da luta histórica da luta por autonomia profissional.

Não deixe de conferir também o Nursebook, aplicativo exclusivamente voltado para tomada de decisão em enfermagem!

Autor:

Juan Carlos Silva Araujo –  Enfermeiro (EEAN/UFRJ) •Especialista em pediatria (IFF/FIOCRUZ) • Especialista em preceptoria no SUS (IEP/HSL) • Mestre em enfermagem (EEAN/UFRJ) • Enfermeiro da UTI pediátrica do HUPE/UERJ e do IPPMG/UFRJ • Docente do curso de graduação em enfermagem das Faculdades São José.




  • logocofen
  • BannerLateralAnjosEnfermagem-207x117
  • Munean
  • e-dimensionamento-207x117

CLIQUE AQUI