08/08/2022

Coren-MT realiza segundo desagravo público da enfermagem mato-grossense

O momento histórico contou com a presença de profissionais da enfermagem e de movimentos sociais

Sessão solene foi realizada na UFMT

O Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso (Coren-MT) realizou na sexta-feira (5), em Barra do Garças (509 km a leste de Cuiabá) o segundo desagravo público da história da enfermagem no estado. Na sessão solene foram defendidas as enfermeiras Carla Roberta Silva Souza Antonio e Miúca Rodrigues de Melo Carvalho, que foram ofendidas pelo médico Rafael Joviano Souza de Barros no exercício da profissão.

O momento histórico contou com a presença de profissionais da enfermagem e de movimentos sociais. O evento foi realizado na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). O local do evento foi mudado, inicialmente era no anfiteatro da Prefeitura de Barra do Garças, após a gestão informar na véspera que o jurídico havia proibido a entrada dos profissionais para a realização do desagravo público.

Em seu discurso, Carla relembrou o que a motivou para denunciar a agressão verbal e que, mesmo com o apoio recebido, o caminho não foi fácil até chegar ao desagravo.

“Eu tive medo, de perseguições, de represálias e até de coisas piores. Mas nós, profissionais da enfermagem, não podemos banalizar esse tipo de atitude. Quando me vi inserida em um contexto em que a prática de humilhações era feita de forma repetida, percebi que a denúncia poderia cessar essa situação”, contou ela emocionada.

Presidente do Coren-MT, Ligia Arfeli, enfatizou o compromisso do Conselho na defesa dos profissionais da enfermagem. “A atitude desse médico ofendeu toda a enfermagem de Barra do Garças e de Mato Grosso. Não podíamos deixar de repudiar isso. Não iremos tolerar que os profissionais da enfermagem sofram qualquer tipo de abuso em seu local de trabalho”.

O caso
O desagravo público é um instrumento para resguardar a dignidade do profissional, protegendo não apenas o ofendido, mas toda a categoria. O médico Rafael Joviano foi denunciado por condutas inapropriadas em dois momentos diferentes, em 2020 e 2021, onde agrediu verbalmente a equipe de enfermagem.

Entre os termos pejorativos utilizados pelo médico estão “carniças incompetentes” e “poço de preguiça”. Além das expressões ofensivas, o médico gritou com as profissionais em meio a pacientes e outros servidores públicos.

Fonte: Ascom – Coren-MT


Anexos

85 KB jpeg Baixar
113 KB jpeg Baixar
62 KB jpeg Baixar
88 KB jpeg Baixar
75 KB jpeg Baixar
72 KB jpeg Baixar
86 KB jpeg Baixar
79 KB jpeg Baixar
142 KB jpeg Baixar



  • Transparência
  • Ouvidoria
  • logocofen
Open chat
Setor Financeiro