- Conselho Regional de Enfermagem do Mato Grosso - http://mt.corens.portalcofen.gov.br -

Coren-MT realiza segundo desagravo público da enfermagem mato-grossense

[1]

Sessão solene foi realizada na UFMT

O Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso (Coren-MT) realizou na sexta-feira (5), em Barra do Garças (509 km a leste de Cuiabá) o segundo desagravo público da história da enfermagem no estado. Na sessão solene foram defendidas as enfermeiras Carla Roberta Silva Souza Antonio e Miúca Rodrigues de Melo Carvalho, que foram ofendidas pelo médico Rafael Joviano Souza de Barros no exercício da profissão.

O momento histórico contou com a presença de profissionais da enfermagem e de movimentos sociais. O evento foi realizado na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). O local do evento foi mudado, inicialmente era no anfiteatro da Prefeitura de Barra do Garças, após a gestão informar na véspera que o jurídico havia proibido a entrada dos profissionais para a realização do desagravo público.

Em seu discurso, Carla relembrou o que a motivou para denunciar a agressão verbal e que, mesmo com o apoio recebido, o caminho não foi fácil até chegar ao desagravo.

“Eu tive medo, de perseguições, de represálias e até de coisas piores. Mas nós, profissionais da enfermagem, não podemos banalizar esse tipo de atitude. Quando me vi inserida em um contexto em que a prática de humilhações era feita de forma repetida, percebi que a denúncia poderia cessar essa situação”, contou ela emocionada.

Presidente do Coren-MT, Ligia Arfeli, enfatizou o compromisso do Conselho na defesa dos profissionais da enfermagem. “A atitude desse médico ofendeu toda a enfermagem de Barra do Garças e de Mato Grosso. Não podíamos deixar de repudiar isso. Não iremos tolerar que os profissionais da enfermagem sofram qualquer tipo de abuso em seu local de trabalho”.

O caso
O desagravo público é um instrumento para resguardar a dignidade do profissional, protegendo não apenas o ofendido, mas toda a categoria. O médico Rafael Joviano foi denunciado por condutas inapropriadas em dois momentos diferentes, em 2020 e 2021, onde agrediu verbalmente a equipe de enfermagem.

Entre os termos pejorativos utilizados pelo médico estão “carniças incompetentes” e “poço de preguiça”. Além das expressões ofensivas, o médico gritou com as profissionais em meio a pacientes e outros servidores públicos.

Fonte: Ascom – Coren-MT