29/11/2019

Coren-MT encaminhará à Prefeitura de Cuiabá parecer sobre atendimento materno-infantil

O Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso (Coren-MT) encaminhará

O Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso (Coren-MT) encaminhará à Prefeitura de Cuiabá parecer sobre as metas e indicadores do processo de pactuação interfederativa de indicadores (SISPACTO) apresentadas no ano de 2018 e  pactuadas em 2019 pela administração municipal para atendimento à saúde  materno-infantil.

Análise da Câmara Técnica de Saúde da Mulher do Coren-MT (CTSM) constatou que em alguns casos os indicadores estão abaixo das prerrogativas do Ministério da Saúde, como é nos exames de colo do útero em mulheres de 25 a 64 anos e nas mamografia de rastreamento em mulheres de 50 a 69 anos.

De acordo com a CTSM, está aumentando o diagnóstico desta doença entre pacientes com idade inferior a 40 anos. A orientação é para que elas sejam inseridas nas estratégias de prevenção.

“A situação é bem alarmante. Em Cuiabá, a mamografia, por exemplo, é pactuado por ano, uma para cada mulher com idade acima de 50 anos, o que está muito longe de atender as metas”, comentou a conselheira do Coren-MT, Sirbene Nunes Cunha, representante do Coren- MT no Conselho Municipal de Saúde.

O município também apresentou resultados negativos nas investigações sobre óbitos entre mulheres em idade fértil (10 a 49 anos), cuja meta para 2018 era de 93% de óbitos investigados.

Entre as recomendações do conselho estão a oferta de educação permanente para os profissionais que preenchem as declarações de óbitos e o fortalecimento do Comitê de investigação de óbitos maternos.

Sífilis

Analisando o número de casos de sífilis congênita em menores de um ano de idade, o documento aponta a subnotificação dos casos da doença, recomendando a ampliação do  monitoramento de mulheres em idade fértil e parceiros e a adesão dos serviços de saúde aos protocolos ministeriais.

O município  manteve resultado abaixo da meta estabelecida no ano de 2018 no que diz respeito à taxa de mortalidade infantil.

Entre outras ações, o Coren-MT sugere o aprimoramento do acompanhamento de qualidade  das gestantes de alto risco, a capacitação dos profissionais de saúde e ações de prevenção de partos prematuros e a adesão das maternidades ao selo Hospital Amigo da Criança.

A análise também fala da importância de dar continuidade às ações realizadas em 2018 para alcançar a proporção aceitável de partos normais no Sistema Único de Saúde e de gravidez em pacientes entre 10 e 19 anos.

“Ressaltamos a relevância do monitoramento e análise das metas e indicadores do SISPACTO para a qualificação da assistência à saúde da população, com destaque para área da saúde materna e infantil”, diz o documento.

 




  • logocofen
  • BannerLateralAnjosEnfermagem-207x117
  • Munean
  • e-dimensionamento-207x117