13/11/2019

Empreendedorismo na Enfermagem é tema discussão em CBCENF

O ramo traz novas possibilidades aos profissionais da Enfermagem

O empreendedorismo dá amplitude à atuação da Enfermagem e desponta como um ramo que traz novas possibilidade aos profissionais, e vai muito além do trabalho em hospitais e unidades de saúde. O consultório de Enfermagem já é uma realidade. Esse foi o assunto da mesa redonda: “Autonomia do Enfermeiro e Consultórios de Enfermagem”, que aconteceu no segundo dia da programação científica do 22º Congresso Brasileiro dos Conselhos de Enfermagem (CBCENF), no dia 12 de novembro, em Foz do Iguaçu.

Viviane Camargo Santos, coordenadora da Câmara Técnica de Atenção Básica do Cofen (CTAS), explicou a legislação que envolve o tema e destacou que três pontos em especial precisam de mais atenção: a Lei que regulamenta a profissão 7.498/86 e Decreto 94.406/87; a legislação sobre a especialidade que vai atuar; e a Resolução do Cofen Nº 568/2018 (alterada pela Resolução Cofen 606/2019), que regulamenta o funcionamento das clínicas e consultórios e clínicas de Enfermagem.

“Antes de dar o passo para abrir um consultório, precisamos saber a legislação e se temos a identificação com o empreendedorismo”, afirmou Viviane. O coordenador da mesa Ricardo Costa de Siqueira, também membro da CTAS lembrou que os consultórios de Enfermagem precisam ser inscritos nos seus respectivos Conselhos Regionais. “Sabemos que já existem muitos consultórios de Enfermagem, mas nem todos são inscritos”, explicou.

Além do registro obrigatório no Conselho, o alvará de funcionamento emitido pela Vigilância Sanitária também é um requisito. Existe um leque grande de atividades que podem ser desenvolvidas nos consultórios, a exemplo de pré-natal, amamentação, puericultura, geriatria, curativos, cuidados nas incontinências, retiradas de pontos, orientações, Educação em saúde.

Entre os principais desafios do empreendedorismo está o desconhecimento do negócio como um todo, a cadeia produtiva, a dinâmica dos mercados e a evolução do setor. Para Isabel Cristina Cunha, editora da revista “Enfermagem Em Foco”, do Cofen, e membro da CTAS, a principal dica para o profissional é entender de gente, estabelecer um networking e criar um marketing pessoal.

Isabel mostrou novas perspectivas para empreender na Enfermagem e os modelos diferenciados de assistência. Ela destacou que para um novo olhar da profissão é necessário: modelos diferenciados de assistência, novas áreas de atuação, além de patentear ou registrar novos produtos e divulgá-los.

“Ser empreendedor não é apenas abrir uma empresa, é levar inovações. Sempre tem uma nova maneira de ver as coisas, dificuldades sempre vão existir”, disse Isabel, ao reforçar que empreender passa pela autonomia e autoconhecimento.


Fonte: Ascom - Cofen



  • logocofen
  • BannerLateralAnjosEnfermagem-207x117
  • Munean
  • e-dimensionamento-207x117