12/12/2019

Enfermeiros e técnicos são os mais afetados por acidentes biológicos

O profissional de enfermagem é o mais afetado por acidentes

O profissional de enfermagem é o mais afetado por acidentes biológicos com profissionais da área da saúde no Brasil possivelmente pela maior demanda em realizar tarefas invasivas ou manipular materiais perfurocortante. Essa é a conclusão de artigo publicado pela revista Arquivos Médicos da FCM/Santa Casa.

Os principais setores onde os acidentes aconteceram foram: centro cirúrgico, enfermaria, unidade de terapia intensiva e pronto socorro. O acidente com material perfurocortante foi o tipo de acidente mais frequente, seguido pelo contato direto do profissional com sangue do paciente.

A punção venosa ou arterial, descarte de seringas e agulhas foi o principal momento em que aconteceu os acidentes. Os patógenos causadores de doenças transmitidas ao profissional em detrimento do acidente ocupacional mais citadas foram o HIV e o vírus da hepatite B.

Quanto à conduta dos profissionais acidentados, alguns admitem não terem notificado o acidente à Comissão Interna de Prevenção Acidentes (CIPA). Embora a maioria dos profissionais façam a notificação e iniciam o tratamento profilático ou curativo proposto, muitos não fazem o acompanhamento até o final e abandonam o tratamento.

O objetivo da pesquisa foi identificar na literatura as características dos acidentes com materiais biológicos sofridos pelos profissionais de saúde e as repercussões. O estudo de revisão foi realizado na base de dados LILACS (Literatura Latino-Americana em Ciências da Saúde) e Scientific Electronic Library Online (SciELO).

Foram selecionados 35 artigos pela leitura dos títulos e resumos e, destes, 15 foram excluídos após a leitura na íntegra por não atenderem os critérios de inclusão.

O artigo “Acidentes biológicos com profissionais da área da saúde no Brasil: uma revisão da literatura”, de Tássia Santos Carvalho e Reginaldo Adalberto Luz, está publicado na íntegra gratuitamente em https://doi.org/10.26432/1809-3019.2018.63.1.31

Fonte: SEGS




  • logocofen
  • BannerLateralAnjosEnfermagem-207x117
  • Munean
  • e-dimensionamento-207x117

Profissionais de saúde que realizam procedimentos geradores de aerossóis como, por exemplo: intubação ou aspiração traqueal, ventilação mecânica invasiva e não invasiva, ressuscitação cardiopulmonar, ventilação manual antes da intubação, coletas de amostras nasotraqueais, DEVEM utilizar a MÁSCARA DE PROTEÇÃO RESPIRATÓRIA (RESPIRADOR PARTICULADO – N95 OU EQUIVALENTE) e GORRO OU TOUCA, juntamente com óculos ou protetor facial, avental ou capote e luvas.