- Conselho Regional de Enfermagem do Mato Grosso - http://mt.corens.portalcofen.gov.br -

INCA lança cartilha contra alimentos ‘milagrosos’ e dietas que ‘curam’ o câncer

Suco de graviola cura o câncer”. “Carboidratos alimentam o tumor”. “Carne vermelha agrava o câncer”. A lista de recomendações de terceiros para pacientes que tratam o câncer é extensa ― e, na maioria das vezes, mentirosa.

Enfrentando um momento difícil e, muitas vezes, com a saúde mental abalada, muitos pacientes e familiares acabam acreditando cegamente nestas e em outras informações falsas compartilhadas aos montes nas redes sociais. O problema se tornou tão grande que o INCA (Instituto Nacional do Câncer) formulou a cartilha “Dietas Restritivas e Alimentos Milagrosos Durante o Tratamento do Câncer: Fique fora dessa!” [1].

A ideia é desmistificar muitas “fake news” e alertar a população sobre tais “alimentos milagrosos”, sobre os quais não há evidências científicas e que ainda podem atrapalhar o tratamento do paciente.

Segundo Gabriela Villaça, nutricionista da unidade II do INCA, informações falsas sobre curas milagrosas do câncer sempre circularam. Nos últimos três anos, porém, a nutricionista diz que houve um grande aumento do compartilhamento destas fake news ― o que vem assustando os profissionais da saúde.

“Pacientes vêm relatando que eles não comiam carboidratos porque eles ‘alimentavam’ o tumor”, disse. “Ao conversarmos com médicos de outros estados, vimos que a desinformação é generalizada no Brasil. Por isso, precisamos nos posicionar.”

A cartilha alerta também para o risco de seguir dietas restritivas, como a chamada “dieta cetogênica”. “Ela restringe carboidratos e isso pode deteriorar a saúde do paciente”, alertou a nutricionista.

A dieta é procurada por pacientes por causa do mito que diz que carboidratos “alimentam o câncer” e “anulam” os efeitos da quimioterapia. Tais conselhos, no entanto, podem contribuir para a desnutrição do paciente e, consequentemente, atrapalhar o tratamento do tumor.

“Sabemos que, quanto mais variado o consumo de frutas e grãos, melhor será a saúde de uma pessoa. O estado nutricional adequado está relacionado ao progresso do tratamento. Se o paciente deixa de comer carboidrato, ele pode perder o peso involuntariamente e ficar desnutrido”, alerta a especialista.

Gabriela conta que há vários casos de pacientes desnutridos que, na esperança de encontrar a cura para sua doença, deixam de comer carboidratos e outras comidas “proibidas” durante o tratamento.

Outro alimento erroneamente considerado vilão do tratamento contra o câncer é a proteína de origem animal: carnes, laticínios e ovos. “Tudo isso [dietas restritivas] deixa de fornecer nutrientes importantes para o organismo”, disse.

Fonte: Ascom Cofen