21/11/2014

NOVEMBRO AZUL: Saúde do homem e câncer de próstata são temas de palestra no Coren

A expectativa de vida do homem no Brasil é de

Digitalmed_Novembro-Azul_2013

A expectativa de vida do homem no Brasil é de 71 anos, enquanto que a da mulher é de 78,3. E um dos fatores que explicam esse menor índice é a baixa preocupação do homem com a própria saúde. Além disso, uma doença exclusivamente masculina – o câncer de próstata – pode atingir 1 em cada 6 homens.

Pensando nisso, o Coren/MT irá promover, no próximo dia 25 de novembro (terça-feira), às 16h, uma palestra, com o enfermeiro e terapeuta sexual Elias Marcelino da Rocha, sobre Saúde do Homem e sobre câncer de próstata, com participação gratuita de todo interessado, em alusão ao Novembro Azul. Privilegia-se a participação masculina, mas aguardam-se também mulheres, para repassarem as informações aos homens com quem convivem. O evento será na sede do Conselho, localizada na Rua Presidente Marques, 59, bairro Bosque, Cuiabá – MT, quase esquina com a avenida Isaac Póvoas, ao lado do Espaço La Provence.

Novembro Azul

75505_252431211575325_724682787_nO mundo inteiro se mobiliza no mês de novembro, para lembrar aos machões sobre o auto-cuidado com o corpo, especialmente para prevenir o câncer de próstata. No Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens (atrás apenas do câncer de pele não-melanoma), segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca).

O chamado Novembro Azul nasceu na Austrália, em 2003, com o nome de Movember, uma mistura das palavras em inglês ‘moustache’ (bigode) e ‘november’ (novembro). E o movimento mundial não é por menos: o câncer de próstata, em valores absolutos, é o sexto tipo mais comum no mundo e o mais prevalente em homens no cenário global, ainda conforme o Inca.

Câncer de próstata

A próstata é uma glândula que só o homem possui e que se localiza na parte baixa do abdômen. Ela é um órgão muito pequeno, tem a forma de maçã e se situa logo abaixo da bexiga e à frente do reto. A próstata envolve a porção inicial da uretra, tubo pelo qual a urina armazenada na bexiga é eliminada. A glândula produz parte do sêmen, líquido espesso que contém os espermatozóides, liberado durante o ato sexual.

O câncer de próstata, mais do que qualquer outro tipo, é considerado um câncer da terceira idade, já que cerca de 75% dos casos no mundo ocorrem a partir dos 65 anos.

O índice tem aumentado no Brasil, mas o Inca avalia que isso tenha ocorrido pela evolução dos métodos diagnósticos (exames), pela melhoria na qualidade dos sistemas de informação do país e pelo aumento na expectativa de vida.

A estimativa de novos casos por ano no Brasil é de 68.800. A doença mata mais de 13 mil homens por ano no país.

prostata_1

Sintomas

A maioria dos cânceres de próstata cresce lentamente e não causa sintomas. Tumores em estágio mais avançado podem ocasionar dificuldade para urinar, sensação de não conseguir esvaziar completamente a bexiga e hematúria (presença de sangue na urina).

Dor óssea, principalmente na região das costas, devido à presença de metástases, é sinal de que a doença evoluiu para um grau de maior gravidade.

Diagnóstico

O câncer de próstata pode ser diagnosticado por meio de exame físico (toque retal) e laboratorial (dosagem do PSA). Caso sejam constatados aumento da glândula ou PSA alterado, deve ser realizada uma biópsia para averiguar a presença de um tumor e se ele é maligno. Se for, o paciente precisa ser submetido a outros exames laboratoriais para se determinar seu tamanho e a presença ou não de metástases.

Tratamento

O tratamento depende do tamanho e da classificação do tumor, assim como da idade do paciente e pode incluir prostatectomia radical (remoção cirúrgica da próstata), radioterapia, hormonoterapia e uso de medicamentos. Para os pacientes idosos com tumor de evolução lenta o acompanhamento clínico menos invasivo é uma opção que deve ser considerada.

Recomendações

* Homens sem risco maior de desenvolver câncer de próstata devem começar a fazer os exames preventivos aos 50 anos;

* Descendentes de negros ou homens com parentes de primeiro grau portadores de câncer de próstata antes dos 65 anos apresentam risco mais elevado de desenvolver a doença; portanto, devem começar a fazer os exames aos 45 anos;

* Pessoas com familiares portadores de câncer de próstata diagnosticado antes dos 65 anos apresentam risco muito alto de desenvolver a doença; por isso, devem começar o acompanhamento médico e laboratorial aos 40 anos;

* Homens com níveis de PSA abaixo de 2,5 ng/mL devem repetir o exame a cada 2 anos; já aqueles com PSA acima desse valor devem fazer o exame anualmente;

* Resultados de PSA e toque retal alterados são relativamente comuns, mas podem gerar muita angústia, apesar de não serem suficientes para estabelecer o diagnóstico de câncer de próstata; para confirmá-lo é indispensável dar prosseguimento a uma avaliação médica detalhada e criteriosa;

* Optar por uma alimentação balanceada e praticar exercícios físicos regularmente são recomendações importantes para prevenir a doença.


Fonte: Coren/MT



  • Transparência
  • Ouvidoria
  • logocofen
Open chat
Setor Financeiro