17/03/2011

OS: Servidores da Saúde de Cáceres divulgam manifesto contra Pedro Henry e o governo

um manifesto sobre o projeto do Secretário de Saúde Pedro Henry de colocar Organizações Sociais para gerir os Hospitais Regionais do Estado.

Membros do Sindicato dos Servidores da Saúde e Meio Ambiente de Mato Grosso (SISMA), Sub-sede de Cáceres remeteram à redação do Jornal Oeste, um manifesto sobre o projeto do Secretário de Saúde Pedro Henry de colocar Organizações Sociais para gerir os Hospitais Regionais do Estado.

O Sindicato justifica a divulgação do manifesto, alegando que até o presente momento a população somente ouviu a versão do governo, que por diversas vezes apareceu na mídia de Mato Grosso dizendo que o modelo de gestão atual da saúde mostrou-se incompetente e que a solução para o caos na saúde é o uso das chamadas OSCIPIs (Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público).

Os sindicalistas afirmam que Pedro Henry omite para a população que o responsável pelo caos na saúde é o próprio governo do Estado, que nunca aplicou o percentual mínimo de 12% (doze por cento) da receita líquida do Estado, conforme previsto na Constituição Estadual de Mato Grosso, e que nos oito anos do governo de Blairo Maggi o que houve foi uma redução nos recursos destinados para a saúde.

Os servidores dizem que não foram chamados para discussão de qual seria o melhor modelo de gestão para a Saúde no Estado.

Leia abaixo o manifesto na íntegra:

CARTA DOS PROFISSIONAIS DOS SERVIDORES DO HR CÁCERES PARA ESCLARECIMENTO DA POPULAÇÃO DIANTE DAS PROPOSTAS DO GOVERNO PARA A SAÚDE

Nós, servidores do Hospital Regional de Cáceres Dr. Antonio Fontes, manifestamos nosso repúdio as pífias explicações do Secretário de Saúde do Estado para implantação das Organizações Sociais e alertamos a população neste documento.

O Sr. Pedro Henry vem propagando em toda mídia de Mato Grosso que o atual modelo de gestão dos Hospitais Regionais da SES está esgotado, por ser um modelo ineficiente e ineficaz, e que a solução para as mazelas da população, que depende dos serviços ofertados por estas unidades de saúde, é a implantação do modelo de parcerias com as Organizações Sociais – OS, que nada mais é uma privatização disfarçada com o nome de parceria.

Entretanto, o Sr. Secretário, em seu discurso, omite a política de sucateamento da saúde, principalmente dos Hospitais Regionais, que vem ocorrendo nos últimos anos e, que nós servidores estamos vivenciando e nos sentindo impotentes diante dos desmandos de governos omissos, mal geridos e mal fiscalizados.

Há muito vimos alertando os gestores da SES sobre falta de planejamento e de investimentos na saúde. Porém, o Governo anterior sempre se posicionou de forma omissa, indiferente e descompromissada com a área da saúde e com o Sistema Único de Saúde – SUS, procurando manter-se sempre longe da realidade que sofre os Hospitais Regionais do interior do Estado. A omissão do Estado é concreta!!! Logo, não somos nós os descomprometidos e culpados por esta situação.

Analisando o discurso do Sr. Pedro Henry na mídia, pode-se concluir que o sucateamento da saúde, começou no Governo anterior (do qual o Governador Silval também fez parte) e permitiu que a situação se tornasse praticamente um caos. Sendo assim, conclui-se que isto nada mais é que um plano maquiavélico orquestrado por estes políticos, com o intuito de se justificar a terceirização dos Hospitais Regionais e demais unidades de saúde da SES.

Portanto, POPULAÇÃO, não se deixe enganar por uma fórmula “mágica” que surge para “organizar o sistema”. Não se deixe enganar pela falácia de secretários e gestores, que hoje adotam um discurso que vem de encontro com os anseios de vocês, tais como: redução das filas de espera para exames e cirurgias, acesso aos medicamentos de alto custo e etc.

Sabemos que muitas vezes a mídia ofende e desfigura o profissional concursado. Saiba, POPULAÇÃO, que são estes que tem o poder de enfrentar o sistema, que muitas vezes são até perseguidos, mas que devido ao concurso não podem ser mandados embora. Hoje, temos pouquíssimos servidores concursados se compararmos aos contratados, pela ausência de concurso público. Quem irá então, com a terceirização, defender o interesse público após as OS? Nossos políticos? O Secretário de Saúde do Estado? VOCÊS ainda acreditam nele? Quem defende o interesse público é o servidor público de carreira, que pode enfrentar a malandragem e a corrupção. E o que os governantes querem são trabalhadores “cordeirinhos” que não podem abrir o “bico” sob pena de ser mandado embora.

Agora, após tantos anos de omissão na saúde, de diversos governos, surge então o Sr. Pedro Henry (que cuja carreira política é marcada por escândalos de corrupção com repercussão nacional), com uma “poção mágica”!, que é a implantação das OS “que não tem fins lucrativos” nos Hospitais Regionais da SES, será mesmo POPULAÇÃO? Será que não há laranjas por trás disso tudo? Quem irá garantir? Isso não lhe parece estranho, POPULAÇÃO? Quais são as verdadeiras intenções do Secretário de Saúde ao defender com unhas e dentes este projeto?

Nós servidores sabemos bem onde estão os gargalos da saúde, e somos capazes de afirmar que esta política de terceirização dos Hospitais da SES por meio das Organizações Sociais – OS visa à redução de custos e acelerar todo processo, não estão pensando em qualidade e segurança, pois pra isso é necessário gastar, é necessário investimentos. Coisa que as OS com certeza não farão. Pois, uma vez que as mesmas assumirem a gestão dos hospitais, não sabemos o que teremos nos próximos anos. Teremos mais salas cirúrgicas? Mais médicos? Mais leitos? Uma maternidade nova? Quem garante que teremos materiais e medicamentos de qualidade sendo utilizados no tratamento dos pacientes?

O que há na realidade, é a falta de planejamento, de investimentos, e mau uso dos recursos públicos. Portanto, POPULAÇÃO, não se iluda com as palavras macias e confortáveis que são ditas pelo secretário. Reflita! O voto é de vocês! Não se deixe enganar! O Estado continua fugindo da sua responsabilidade, e agora ele quer resolver todos os problemas utilizando uma fórmula mágica?

Assumam, tanto o Senhor Governador, quanto Senhor Secretário, a Saúde que é obrigação do Estado, não escondam nada, nem procurem encontrar outros caminhos para o percurso do dinheiro público. Pois os que já existem são tão obscuros, iluminem os que existem! Assumam o papel de vocês.

SINDICATO DOS SERVIDORES DA SAÚDE E MEIO AMBIENTE DE MATO GROSSO – SISMA

SUB-SEDE CÁCERES


Fonte: Site Jornal Oeste



  • logocofen
  • BannerLateralAnjosEnfermagem-207x117
  • Munean
  • e-dimensionamento-207x117