10/12/2019

Saúde intensifica ações de prevenção ao Sarampo com estratégia de vacinação em bairros

Com altíssimo potencial de transmissão, o sarampo é uma doença

Com altíssimo potencial de transmissão, o sarampo é uma doença viral grave, que pode ser fatal. Sua propagação ocorre quando o indivíduo contaminado tosse, fala, espirra ou respira próximo de outras pessoas. A única maneira de evitar a contaminação pelo vírus do sarampo é com a vacina tríplice viral. Diante da situação epidemiológica no Brasil, e apesar de Várzea Grande não registrar nenhum caso da doença, foram intensificadas as ações de prevenção na aplicação de vacinas em escolas, bairros, além dos pontos fixos nas unidades de Saúde.

A Campanha de Vacinação contra o sarampo vai até o final do mês de dezembro. Segundo dados da Vigilância em Saúde Municipal, Várzea Grande já atingiu uma cobertura de 80% com a vacina contra o sarampo, em crianças de um ano a menores de dois anos, o preconizado pelo Ministério da Saúde é chegar em 95%.

Esta campanha nacional de vacinação contra o sarampo prevê atualização da vacina tríplice viral em carteira de vacinação de crianças com idade entre 06 meses e menores de 05 anos e adultos jovens com idade entre 20 a 29 anos.

De acordo com a superintendente de Vigilância em Saúde de Várzea Grande, Relva Cristina Silva de Moura, esta campanha está voltada para essas duas faixas etárias e para atualização da carteira vacinal. “Esta campanha não é voltada para doses extras, mas sim para aquelas pessoas que ainda não se imunizaram contra o sarampo. Por isso, o ideal é levar a carteira de vacinação para que o profissional de saúde verifique se a criança ou adulto estão imunizados contra o sarampo”, detalha, informando ainda que as novas estratégias adotadas busca atender todas as comunidades, principalmente aquelas pessoas que não conseguem procurar uma unidade de saúde durante a semana.

Por: Da Redação – Secom/VG




  • logocofen
  • BannerLateralAnjosEnfermagem-207x117
  • Munean
  • e-dimensionamento-207x117

Profissionais de saúde que realizam procedimentos geradores de aerossóis como, por exemplo: intubação ou aspiração traqueal, ventilação mecânica invasiva e não invasiva, ressuscitação cardiopulmonar, ventilação manual antes da intubação, coletas de amostras nasotraqueais, DEVEM utilizar a MÁSCARA DE PROTEÇÃO RESPIRATÓRIA (RESPIRADOR PARTICULADO – N95 OU EQUIVALENTE) e GORRO OU TOUCA, juntamente com óculos ou protetor facial, avental ou capote e luvas.